Primeira Gravação (Maybelline): O Aparecimento de Chuck Berry

0
422
Primeira Gravação (Maybelline): O Aparecimento de Chuck Berry

O início da carreira do precursor do rock Chuck Berry é possível de ver no filme Cadillac Records de 2008. No início Chuck era apenas um excêntrico cantor de música country e causava estranheza por isso, já que era um negro cantando uma música de “branco”.

Em 1955, quando foi descoberto pela Chess Records, a gravadora achou seu som country demais, até tinham a intenção de adaptá-lo para o blues, mas isso não aconteceu. O estilo de música de Chuck Berry era incompreensível até então, mas Leonard Chess deu uma chance e resolveu gravar sua música.

Essa música, foi Maybelline, inclusive foi uma das primeiras músicas a ser considerada rock pelas rádios americanas, com um estilo diferente e irreverente. E logo Maybelline estava no top das mais tocadas das Billboard.

Chuck Berry passou a tocar em cidades onde ainda havia segregação racial, mas havia só uma corda fina para separava negros de brancos quando sua música tocava. E só isso foi preciso para unir negros e brancos, um homem tocando rock no palco.

Chuck Berry: o criador do rock?

Em 1955, uma espécie de música indefinida e sem graça foi chamada de rock ‘n’ roll, Chuck era apenas um jovem em St. Louis em 1955. Ele gravou a música “Maybellene” para a Chess Records, e o resto é história. Em apenas dois minutos e 18 segundos, a música incorporou as tensões sexuais de uma geração ou, como o produtor de Berry disse, “a grande batida, os carros e o amor jovem; era uma tendência e nós pulamos nela”.

Quando foi até a Chess Records, foi à primeira vez de Berry em um estúdio de gravação. Aos 29 anos, ele se apresentou em um trio de St. Louis por vários anos, tocando principalmente blues e padrões de R&B. Mas Berry começou a escrever suas próprias músicas, inserindo elementos da música country branca, e ele queria ver se eles venderiam. Numa noite de sexta-feira em maio de 1955, Berry dirigiu-se a Chicago para assistir a um show de seu ídolo do blues, Muddy Waters.

Em sua biografia, contam que Chuck foi até Muddy após o final do show para pedir seu autógrafo e disse que tocava violão. Então, Muddy propôs a Chuck procurar Leonard Chess da Chess Records para apresentar seu som.

Tão cedo na manhã de segunda-feira, Berry foi até a Chess Records e mostrou sua música a Leonard Chess. Chess ficou impressionado com a autoconfiança do jovem e disse-lhe para voltar com uma fita de seu próprio material. Berry voltou na semana seguinte, trazendo com ele os outros membros do trio, o pianista Johnnie Johnson e o baterista Eddie Hardy, e quatro novas músicas.

Leonard Chess ficou fascinado por uma música otimista do jovem rapaz, “Ida Mae”, que Berry havia adaptado de uma música tradicional do país chamada “Ida Red”. Chess tinha certeza de que a nova música poderia ser um sucesso, mas ele não gostou do nome. Era muito rural e ele achava que sua semelhança com “Ida Red” poderia causar problemas de direitos autorais.

Isso foi um problema, mas olhando para o parapeito da janela havia uma caixa de rímel lá em cima escrita “Maybellene”. Então Leonard Chess propôs chamar a música assim.

O sucesso de Chuck Berry

Chuck Berry e sua banda estavam tocando três noites por semana, e começaram a atrair um público mais diversificado. Os brancos estavam aparecendo para ouvir essa estranha e nova mistura de blues, R&B e country. Mas depois de várias semanas, Berry ainda não tinha notícias de Leonard Chess. Ele não tinha ideia do que estava acontecendo com suas músicas. Então, um dia em agosto, ele ouviu.

Sua música se tornou a mais tocadas nas rádios da época, impulsionada por seu ritmo de, “Maybellene” rapidamente subiu para o 1º lugar nas paradas de R&B. Duas semanas depois, em agosto de 1955, alcançou a 5ª posição no ranking pop mais importante. No WINS de Nova York, o disc jockey Alan Freed tocou a música por duas horas seguidas em uma noite. No sul, um cantor relativamente desconhecido chamado Elvis Presley começou a incluir a música em suas próprias apresentações.

Joe Edwards, proprietário do Blueberry Hill, o clube de St. Louis, onde Chuck Berry se apresentava inicialmente todos os meses, disse que Berry não foi apenas um pioneiro do rock ‘n’ roll, mas também seu primeiro grande poeta.

Berry também foi o primeiro artista de black rock a encontrar sucesso nacional tocando sua própria música. Por sua experiência em St. Louis, ele sabia o que era necessário. E enquanto ele ainda listava guitarristas negros como Charlie Christian e T-Bone Walker como suas principais influências, Berry foi mais cuidadoso com sua própria imagem, tornando sua dicção, mais difícil e mais “branca”. 

Também, Chuck Berry foi o primeiro artista que realmente fez de tudo, escrevia suas músicas, escrevia as letras e coreografava o show. E ninguém fez isso. Até Bob Dylan aparecer, não havia ninguém que o superasse.